sábado, 16 de janeiro de 2010

Poesia sobre o tempo...

Por que me aperta o peito
Prendendo a respiração
e pausando os pensamentos?

Quem me aperta o peito
Prendendo minha respiração
e pairando em meus pensamentos?

Que será do tempo
Temo o tempo
E o tempo não teme
mas só ele sabe
O que será

Futuro é mistério
É a obscuridade de uma ignorância
que nunca vamos acabar
A ignorância do que será

Quem vai medir
a velocidade das alegrias
Quem vai medir
o devagar das tristezas
o século de uma angústia?

Quem vai mandar no tempo?
Em quem o tempo vai mandar?
Que será de nós se o tempo
Persiste em nos escravizar...

Um comentário:

sagaz disse...

A angústia da pergunta e a incerteza de uma resposta.

Definições inseguras?...

Bons versos! =]